Já parou para pensar hoje? Ou está apenas tendo pensamentos? Sabe a diferença entre um e outro?

Existe uma diferença entre pensar e ter pensamentos.

Segundo o Dr. Lair Ribeiro ter PENSAMENTOS é visualizar na mente tudo que você ouviu, viu e sentiu em algum momento do seu dia ou da sua vida, em outras palavras, os pensamentos são a expressões de ações externas.

Já o PENSAR é refletir, averiguar, conflitar seus pensamentos. Vamos contar uma pequena história para explicar melhor.

João Neto contou para sua amiga Rita o segredo de Frederico. Rita ficou pensando no que ouviu, aquela ideia não saía da sua cabeça. Atormentou-a pelas noites seguintes. Ela não queria pensar naquilo, mas bastava fechar os olhos e os pensamentos vinham.

Os dias foram passando, ela já não consegui dormir de tanto imaginar o terrível segredo de Frederico. Certa noite, Rita decidiu que não iria mais pensar naquilo, no entanto bastava fechar os olhos e outra vez os pensamentos viam – “Já chega!”, um dia disse Rita em silêncio. Começou a pensar como poderia ajudar o seu amigo Frederico… e, no final, passou a dormir bem.

Enquanto Rita era atormentada estava apenas tendo pensamentos, reproduzindo com intensidade o que ouviu de João a respeito de Frederico.  Porém, ao decidir ajudar o amigo começou a pensar, passou a buscar soluções, fazer seus neurônios trabalharem para resolver o problema.

Percebeu que podemos ter muitos pensamentos e não estar pensando de fato? Lembre-se do que disse Shakespeare: “se penso, logo existo!” Pensar é entender seus pensamentos, é buscar soluções para seus dilemas.

E qual era o segredo de Frederico? Sinto muito, mas nem eu sei, pois Rita não contou para mais ninguém.

Passamos a maior parte do dia reproduzindo pensamentos e não pensando de fato.  Por isso Paulo Francis faz um alerta: “quem não lê não pensa. E quem não pensa está fadado a ser sempre servo”. Frase dura, que demonstra a realidade de muitos brasileiros.

Passe a observar uma pessoa que não tem o hábito de ler, vai perceber que ela, constantemente, acredita no que assiste na TV, no que escuta de um vizinho ou alguma autoridade, não fazendo nenhuma reflexão crítica sobre o assunto exposto, poucas vezes exprime com sinceridade uma frase de dúvida como:

“será que isso é verdade?” Normalmente, já sai espalhando a notícia, ou seja, ela só reproduz pensamentos e não pensa de fato. Infelizmente, acaba sendo massa de manobra, seduzida por uma oratória eloquente e sensacionalista.

Deveríamos estar sempre refletindo sobre tudo que ouvimos e decidimos repassar. Se filtrássemos as informações antes de reproduzi-las economizaríamos muita energia útil de nosso cérebro, sem falar que despertaríamos um potencial de aprendizado muito maior.

Então, como posso pensar melhor?

A leitura é uma excelente ferramenta para desenvolver os pensamentos. E como isso ocorre? É simples, quando você lê, seu cérebro passa a pensar, a sentir e a visualizar os acontecimentos do texto.

Isso ajuda a melhorar seu raciocínio, criatividade, vocabulário e escrita. Vai te deixar mais crítico com as notícias que escutar, vai querer ouvir ou ler em outras fontes.

A leitura nos torna seres pensantes e quem pensa não se deixa ser dominado.  Como disse Hellen Keller: “Jamais alguém concordará em rastejar se sentir um impulso para voar”. Nessa frase Hellen reforça o poder de quem pensa com frequência. Se você não conhece a história de Hellen Keller, pesquise e se surpreenda com uma mente extraordinária.

            Alguns alunos me questionam: Professor, para quê ler o livro se posso assistir ao filme? Respondo da mesma maneira sempre: O que você prefere se iludir ou realizar? A maioria não entende a pergunta! Vou explicar, tenho dois motivos para não trocar o livro por um filme que conta a história do livro.

Primeiro: O livro possui detalhes que não são expressos nos filmes, pois a intenção principal do filme é entretenimento e não apenas contar a história. Quer tirar sua dúvida, escolha um livro para ler e depois assista ao filme sobre ele.

Segundo: O filme omite não apenas parte do conteúdo, mas também vai te privar de algo mais importante, que é a elaboração do pensamento (imaginação). Pois, ele traz tudo pronto, imagem, sotaque, paisagem, objetos, personagens, sonoplastia, etc. E essa facilidade faz você ter bons pensamentos do filme e um certo conforto mental, mas limita o seu pensar.

No entanto ao ler o livro, por mais que o autor possa detalhar todo o cenário e os personagens da história, cada leitor vai imaginar e sentir tudo de uma forma individual, ou seja, cada um terá seu próprio jeito de ver a história acontecendo. Essa possibilidade de imaginar é que faz toda a diferença para seu cérebro.  “A leitura é para o cérebro o mesmo que o exercício é para o corpo” (Dr. Lair Ribeiro).

Agora que você entendeu a diferença entre PENSAR e ter PENSAMENTOS.   Exercite sua mente para pensar!

  1. Leia um pouco todos os dias, esse pouco é você que determina;
  2. Faça uma dieta magra de informações: Não perca tempo com assuntos irrelevantes, sensacionalistas e de cunho partidário;
  3. Análise, pesquise em outras fontes antes de reproduzir uma informação;
  4. Concentre-se no que está ouvindo, assistindo, lendo ou fazendo;
  5. Tire 5 minutos por dia para meditar, orar ou simplesmente relaxar;
  6. Escreva algo todos os dias, pode ser apenas uma frase. Se você copiar, reflita sobre o significado do que escreveu. Se vai resumir, escreva do jeito que entendeu;
  7. Faça exercícios de raciocínio lógico. São poderosos para ativar sua mente.

Bons Estudos!